3 tendências para sua empresa não perder de vista na era disruptiva | Inteligência Artificial

por Gabriel Espeschit, Novos Negócios

Vivemos um período de disrupção. A iminência de novas tecnologias que mudarão a forma como nos relacionamos com o mundo pede que fiquemos atentos aos últimos acontecimentos. No último ano, foram vários os sinais de avanço, que dão pistas do futuro caminho da inovação.

Google Home, Alexa, Apple HomePod, entre outros assistentes pessoais consolidaram-se nos últimos tempos, abrindo novas portas para a comunicação homem-máquina, preservando a agilidade e naturalidade da fala.

Alpha Go, programa construído pela Alphabet que utiliza machine learning para disputar o jogo de tabuleiro Go (um jogo de de extrema complexidade que oferece milhões de combinações diferentes a cada jogada), conseguiu ganhar do atual campeão mundial, mostrando a capacidade de máquinas a aprenderem e se adaptarem a tarefas humanas.

A startup americana Foward, classificada como sendo uma das 25 melhores tecnologias de 2017 pela Time, pretende inovar a experiência de ir a uma consulta médica, fornecendo uma personalização no atendimento que combina um conhecimento amplo com a utilização de tecnologias de monitoramento avançadas. Por meio de um sistema de inscrição, a empresa deseja garantir o acesso rápido e fácil à saúde utilizando um aplicativo de celular, produtos que medem níveis hormonais, quantidade de água, etc e disponibilizando um médico para cada inscrito.

Além disso, os óculos eSight 3 também nos mostraram como o avanço tecnológico e o sensoriamento de ponta consegue realizar mudanças antes inimagináveis, como a restauração da visão de milhares de pessoas legalmente cegas. Feito com expertise, um conjunto de hardware, software e sensoriamento, o novo eSight se torna uma inovação disruptiva, capaz de causar impacto mundial.

Essas são apenas algumas aplicações das principais tendências mundiais. Nas próximas 3 semanas vamos explorar uma tendência que podem causar disrupção em diversos mercados. A primeira é a…

·       Inteligência Artificial (AI)

Os computadores estão cada vez mais humanos, realizando conversas sobre assuntos do dia a dia com o usuário, tomando decisões para garantir o funcionamento correto de grandes indústrias, entre milhares de outras funções.

Em maioria, isso se deve aos algoritmos de Machine Learning (aprendizado de máquina) que são desenvolvidos especificamente para cada aplicação. Por isso, o aprendizado de máquina é a base para as transformações futuras no ramo da inteligência artificial.

O seu assistente pessoal ficará mais inteligente, reconhecendo comandos com mais clareza e tornando o computador uma ferramenta que consegue interagir efetivamente conosco usando nosso principal meio de comunicação: a voz. Ademais, o reconhecimento facial será o novo método de identificação pessoal e já está presente em muitas tecnologias direct to consumer (a mais popular sendo o iPhone X). Podemos então esperar que o reconhecimento facial substitua métodos como senhas em cartão de crédito para fazer nossa identificação, tornando o método mais ágil e seguro para o usuário.

Além disso, AI terá um papel enorme na área da saúde e lazer, podendo ser usado eficientemente para fazer o diagnóstico de pacientes ou auxiliar a equipe de médicos a tomarem decisões baseadas em dados estatísticos, melhorando e aprimorando o nosso tratamento.

Na área de lazer, temos o exemplo do Forpheus, apresentado no CES 2018, que aconteceu no começo desse ano. O robô foi desenvolvido pela empresa japonesa Omrom e utiliza uma combinação de algoritmos de AI, reconhecimento facial (para ler o grau de esforço que o usuário está fazendo) e robótica para melhorar a habilidade do usuário em Ping Pong.

Outros computadores capazes de ensinar e monitorar nossas tarefas serão desenvolvidos. Seja para uma criança que deseja melhorar suas habilidades no Tênis de Mesa ou o funcionário de uma fábrica que precisa realizar uma manutenção de alto risco. A era do assistente de dados está expandindo para a era do assistente prático.

Sendo assim, podemos prever que, muito em breve, novas fronteiras para nossa interação com maquinas serão exploradas. A Inteligência Artificial será utilizada para auxiliar um gerente na tomada de decisão, ensinar os seres humanos (e outras máquinas) a aprimorarem e expandirem suas habilidades, substituir métodos de segurança lentos e antiquados, entre inúmeras outras aplicações.

Quer receber mais conteúdos como esse? Clique aqui e cadastre seu e-mail para mais notícias e tendências em tecnologia, sustentabilidade e negócios.

CSEM Brasil

Um Centro de Pesquisa & Desenvolvimento que sonha mudar o mundo através da inovação.

LEIA TAMBÉM