Empresas “recém-nascidas” esnobam a crise @Diário do Comércio

Taxas de crescimento acima da média, funcionários engajados e felizes e uma receita que não para de aumentar nem mesmo com a crise econômica. A realidade vivida pelas empresas de alto crescimento destoa do cenário macroeconômico do País, onde a manutenção de resultados já é vista como vitória. E como se não bastasse tamanho otimismo, um grupo seleto dessas empresas ganha ainda mais destaque por um detalhe: há cinco anos elas sequer existiam. Como gigantes com espírito de criança, elas mal abriram as portas, mas já se destacam na frente de empresas tradicionais, abocanhando boa parte do mercado em que atuam. Uma empresa pode ser considerada de alto crescimento, ou scale-up, quando registra crescimento de, pelo menos, 20% ao ano nos últimos três anos, e tenham, ao menos, 10 funcionários.

Na matéria, nosso colaborador Filipe Ivo conta como o sucesso da SUNEW e de outras empresas recém nascidas “esnobaram” a crise, nas palavras da jornalista Thaíne Belissa.

Leia mais no site do Diário do Comércio.

CSEM Brasil

Um Centro de Pesquisa & Desenvolvimento que sonha mudar o mundo através da inovação.

LEIA TAMBÉM