Tendências internacionais, modelos de negócio e hacks para inovar no Brasil

Conheça a programação do “Inovadores do Mundo Real”

O Inovadores do Mundo Real é um grande encontro de líderes e empresas engajadas com inovação e tecnologia, cujo objetivo é a geração de negócios com alto impacto inovativo para indústria nacional.  O evento, além de receber grande empresas do cenário de inovação mundial, contará com a participação internacional de Arturo Vittori, responsável pelo projeto da Warka Water, que disponibiliza água potável e agora energia elétrica em regiões desérticas de todo o planeta.

Palestras, bate-papo e networking acontecem no Museu do Amanhã, no dia 17 de outubro na cidade do Rio de Janeiro. A data, inserida na Semana Nacional de Inovação, é também aniversário de 10 anos do CSEM Brasil, que para a ocasião convida outros ICTs, empresas e agentes financiadores para celebrá-lo. A ideia é criar laços entre diversos setores e instituições, e desta forma, promover a inovação e a competitividade na indústria brasileira.

 

Destaques da programação

Acreditamos que, para inovar no mundo real, é essencial ter a capacidade de conectar tecnologias, pessoas e processos – sendo nacionais ou internacionais. Neste contexto, além da presença do inventor e visionário Arturo Vittori, serão apresentados cases de sucesso da indústria e mesa redonda com o foco inovação.

O evento traz tudo isso sob uma perspectiva de fomentar networking e parcerias estratégicas. Tudo isso será proporcionado ao colocar, dentro de um mesmo ambiente, influenciadores e decisores de grandes empresas. O evento, visando uma ampliação de consciência, abre espaço para visitação ao Museu do Amanhã, e promove uma conversa com seu curador Luiz Alberto de Oliveira.

 

  • Warka Water: inovação para mudar o mundo

Um caso interessante a ser citado é a parceria entre o projeto de Arturo Vittori e a SUNEW, que desenvolve os painéis solares de próxima geração no Brasil. O Warka Water, desenvolvido para levar água potável para regiões desertas e carentes, é uma torre feita de bambu que capta o vapor d’água atmosférico e o torna próprio para consumo.

Hoje, ele se se reinventa com uma inovação brasileira: os painéis solares orgânicos, com potencial energético capaz de prover soluções de iluminação, wi-fi, energizar computadores, geladeiras para remédios, projetores usados para aulas, etc. Com Warkas instaladas na Etiópia, o projeto busca ampliar sua atuação em locais como Haiti, Madagascar, Colômbia, Índia, Nepal e muitos outros.

Arturo Vittori também é diretor do estúdio Architecture and Vision e tem experiência em arquitetura aeroespacial, transferência de tecnologia e sustentabilidade em inovação.

 

  • Discussão sobre modelos inovadores dentro e fora do Brasil

Palestrantes como Andre Barrence, da Google, e Georges Kotrotsios, do CSEM Suíça, traduzem modelos inovadores e comentam sobre sua experiência.

Barrence traz sua experiência como diretor do Google Campus São Paulo, co-fundador e ex-diretor do SEED – Startups and Entrepreneurship Ecosystem Development, um dos maiores programas de aceleração de startups do país. Já Kotrotsios, Diretor e Vice-Presidente de Desenvolvimento de Negócios e Marketing do CSEM Suíça, comenta o modelo de inovação de seu país, número 1 em todo o mundo.

No começo dos anos 80, a Suíça começou a perder espaço no mercado para a Ásia e, ao estudar o porquê, detectou que um dos caminhos para ganhar competitividade era transformar tecnologias em produtos e serviços inovadores e aplicáveis. Para tanto, três dos principais centros de pesquisa se juntaram e foi criado o CSEM S.A. (Centre Suisse d’Electronique et de Microtechnique), criando dezenas de empresas de tecnologia avançada, mais de 1000 projetos, 200 famílias de patentes e mais de U$S 4 milhões em turnover.

O centro ainda ajudou a fundar, em 2016, o CSEM Brasil, que possui o objetivo de desenvolver no país uma estrutura de inovação semelhante à existente na Suíça e Europa.

 

  • Dez anos de desenvolvimento econômico e sustentável

Tiago Alves, CEO do CSEM Brasil, conta como a empresa atuou nestes dez anos de existência, com mais de 100 milhões investidos em projetos com multinacionais líderes em seus segmentos.

O evento ainda traz o case da SUNEW, startup que já nasceu com a maior e mais moderna linha de produção de painéis solares orgânicos (OPV) do mundo. A tecnologia do OPV, desenvolvida pelo CSEM Brasil, é considerada a próxima geração em energia solar, com menor pegada de carbono e potencial para ser 30 vezes mais barata do que os painéis de silício como temos hoje. A sustentabilidade econômica encontra a ambiental nesta palestra, resolvendo grandes problemas através da inovação.

 

  • Ecossistema brasileiro de inovação

A mesa redonda traz nomes como Paulo Rocca, Vice-Presidente da Bosch, Juliano Seabra, Diretor Geral da Endeavor, e Carlos Eduardo Pereira, Diretor de Operações da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII), além de profissionais da AES, multinacional do setor de energia, e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Conectando a visão de quem está na linha de frente de projetos de inovação na indústria, agentes financiadores e investidores, o objetivo é indicar caminhos para a inovação no Brasil. Hoje, os esse tipo de projeto se apoia em leis de incentivo, subvenção econômica ou financiamentos direcionados à pesquisa e desenvolvimento, além do mercado de capital de risco, que também cresce no país.

O tema da inovação no mercado de investimentos é trazido pelo Sócio e CEO da FIR Capital, David Travesso, que já atuou na Vice-Presidência Executiva da CEMIG, como Diretor Executivo da Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig) e na Vice-Presidência da AES Eletropaulo.

 

Confira a programação completa:

 

CSEM Brasil

Um Centro de Pesquisa & Desenvolvimento que sonha mudar o mundo através da inovação.

LEIA TAMBÉM