[VÍDEO] Transição energética: uma questão de necessidade

O problema é mundial, e a solução está mais próxima do que você imagina. No vídeo a seguir, Filipe Ivo, nosso especialista em novos negócios, revela porque a transição das energias fósseis para as renováveis é uma questão de necessidade:

Quando falamos no tema de transição energética, um engano comum é pensar que ela é motivada pela escassez dos combustíveis fósseis. Que a migração para alternativas de fontes renováveis, como a solar e a eólica, está acontecendo porque o petróleo vai acabar.

Na realidade a real motivação é a necessidade eminente e imediata de reduzirmos as emissões de gases de efeito estufa.

Se a gente considerar, por exemplo, um cenário onde a gente queima apenas metade das reservas petróleo do planeta, isso já extrapola nosso orçamento de emissões de CO₂. O planeta teria um aquecimento acima de 2ºC, o que disparariam processos irreversíveis que inviabilizariam a vida da espécie humana na Terra.

Ou seja, a humanidade acaba antes do petróleo acabar.

É como se estivéssemos dentro de um trem a caminho do precipício e ao invés de discutirmos formas de como frear, nós estamos discutindo como paramos ali.

A utilização intensiva da energia solar é certamente a melhor opção que a gente tem hoje. Ela é abundante, é gratuita – o sol brilha para todos – além de ser renovável.

Visto este cenário, o que nós estamos construindo é uma visão da integração de energia limpa em todos os lugares.

Nós desenvolvemos uma tecnologia, chamada OPV, os painéis solares orgânicos, que são a próxima geração de energia solar. Eles são leves, flexíveis, semitransparentes e possuem a menor pegada de carbono existente, dentre todas as fontes disponíveis.

Todas essas características juntas viabilizam que essa tecnologia seja integrada no contexto das cidades. Por exemplo, em fachadas de prédios, galpões, estruturas leves, postos de gasolina, veículos, mobilidade, mobiliário urbano, entre várias outras.

Ou seja, é a gente aproximar a geração de energia próxima de onde ela é consumida, evitando assim todas as perdas no sistema de transmissão. Hoje já temos tecnologia, apoio de governos, engajamento de muitas empresas, e a necessidade real por essa transição.

O que falta então para ela acontecer?

Precisamos estar conscientes do que está ocorrendo, precisamos assumir nossa parcela da responsabilidade no problema, apoiar essas novas soluções, incentivar políticas, investir no não óbvio. Ou seja, quebrar paradigmas.

O que falta somos nós.

 

Quer receber mais conteúdos como esse? Clique aqui e cadastre seu e-mail para mais notícias e tendências em tecnologia, sustentabilidade e negócios.

CSEM Brasil

Um Centro de Pesquisa & Desenvolvimento que sonha mudar o mundo através da inovação.

LEIA TAMBÉM